Comité Ecuménico para o Desenvolvimento Social-CEDES

Tel: +258-21 428882

Fax: +258-21 428886

Rua Anguane, 397 Maputo, Mozambique

© 2018 Todos direitos reservados-CEDES. . Criado pela W4B

Noticias

SOMOS A MAIORIA MAS POUCAS OPORTUNIDADES

August 13, 2019

Os resultados definitivos do senso populacional de 2017, indicam que a população total moçambicana é de 27.909.798 (Vinte e sete milhões, novecentos e nove mil e setecentos e noventa e oito habitantes). Dos quais 14.561.352 são do sexo feminino e 13.348.446 são do sexo masculino, o que demostra claramente que as mulheres representam a classe maioritária da população moçambicana. Porém, verifica-se um pouco por todo país, uma tendência dominadora da população masculina no que diz respeito a oportunidade de ocupação do cargo de direcção e chefia,

 E neste contexto que O  CEDES em parceria com outras organizacaoes da sosciedade civil como exemplo imd, forum  mulher,joint, lavatsongo conficcoes religiosas  representantes do governo realizaram  tres marchas nos municipios de Maputo matola e chokwe  com objectivo de apelar  aos partidos políticos, coligações de partidos políticos e grupos de cidadãos a envolverem cada vez mais as mulheres nos processos eleitorais, elas abordavam ainda  a necessidade  de intervençao  nos casos de violencia  baseada  no genero  relacionados  com as eleicoes no pais .

Paz e Reconciliação Nacional

August 13, 2019

O Presidente moçambicano, Filipe Nyusi, e o líder da Renamo (maior partido da oposição) assinaram, em Maputo, o Acordo de Paz e Reconciliação Nacional.

O pacto, que encerra formalmente, meses de violência armada no país, foi rubricado na Praça da Paz, na presença de cinco chefes de Estado africanos e dignitários estrangeiros.

A cerimónia foi também testemunhada por milhares de populares,  incluindo crianças, muitos dos quais trajando "t-shirts" com a frase “Paz definitiva”.

O entendimento formalizado é o corolário de negociações que se vinham desenrolando desde 2015, entre o Governo moçambicano e a Renamo (Resistência Nacional Moçambicana), para acabar com a violência armada opondo as Forças de Defesa e Segurança moçambicanas e o braço armado da Renamo.

A violência, acompanhada com ataques a veículos em alguns troços da principal estrada do país.

O entendimento contempla igualmente o Desarmamento, Desmobilização e Reintegração do braço armado da Renamo e a integração dos seus oficiais em postos de chefia nas Forças de Defesa e Segurança.

Destacar que o  acordo de paz e reconciliação nacional assinado  será o terceiro entre as duas partes, uma vez que, além do Acordo Geral de Paz de 1992, que acabou com uma guerra civil de 16 anos, foi assinado em 05 de setembro de 2014 o acordo de cessação das hostilidades militares, que terminou, formalmente, com meses de confrontação na sequência de diferendos sobre a lei eleitoral.

Nyusi e Ossufo Momade candidatos às presidenciais

August 13, 2019

O Conselho Constitucional admitiu  o actual chefe de Estado, Filipe Nyusi, e o líder da Renamo, Ossufo Momade, como candidatos às eleições presidenciais, num acórdão que aceita mais duas candidaturas e rejeita três por irregularidades.

Além de Filipe Nyusi e Ossufo Momade, este do maior partido da oposição, o Conselho Constitucional validou, igualmente, as candidaturas de Daviz Simango, líder do Movimento Democrático de Moçambique, e de Mário Albino, do partido extraparlamentar Acção do Movimento Unido para a Salvação Integral (AMUSI).

O conselho  rejeitou as candidaturas de Eugénio Estêvão, Hélder Mendonça e Alice Mabota devido à insuficiência de proponentes.

Alice Mabota teve 5.611 proponentes invalidados do total de 13.160 submetidos., Hélder Mendonça, viu a invalidação de 4.147 proponentes, do total de 12.250 submetidos. Por último, Eugénio Estêvão teve 7.732 proponentes invalidados dos 11.340 submetidos.

A lei determina que as fichas de proponentes com fotografia do candidato impressa contenham um mínimo de 10 mil e um máximo de 20 mil assinaturas de apoio que devem ser reconhecidas por notário.

TREINAMENTO DE MONITORES ELEITORAIS. ELEIÇÕES GERAIS DE 2019-REGIÃO SUL

March 11, 2019

Arancou hoje 12 de Março de 2019 o treinamento de monitores eleitorais. eleições gerais de 2019-Região Sul, este treinamento e levado a cabo pela Counterpart International em parceria com Comité Ecumenico para o desenvolvimento Social. O objectivo deste treinamento e capacitar monitores que irão observar o processo eleitoral a longo prazo.
Esta monitoria começa com a fiscalização dos actos do recesseamento eleitoral e termina depois da proclamação e validação dos resultados das eleições gerais 2019 pelo conselho constitucional de Moçambique

Maputo Cidade - Comunidades autofinanciam-se

Desde 2014 o CEDES promove e capacita grupos vulneráveis em esquemas de poupança e crédito (SAC’s) dos distritos Kamavota e Kamaxaquene. O objectivo desta intervenção é de empoderar economicamente mulheres pobres, para alivia-las do fraco acesso aos mercados financeiros formais. Ao nível dos dois distritos urbanos foram formadas 189 pessoas (170 Mulheres 19 Homens), organizadas em 13 grupos sendo 7 de Kamaxaquene e 6 de Kamavota, onde a constituição do grupo varia de 15 a 20 membros.

Com as poupanças feitas, os membros dos grupos têm investido em pequenos negócios, e como resultado pelo menos 95 membros que reinvestiram os lucros para o melhoramento das suas casas e resolução de algumas necessidades pontuais dentro dos agregados familiares.

Para a sustentabilidade dos diversos grupos alvos assistidos, o CEDES tem apostado em metodologias participativas, (POP –processos orientadas por pessoas ). Estas criam o sentido de pertença pelas comunidades, o que tem lhes tornado mais resilientes e autossustentáveis.

1 / 1

Please reload

Artigos

EM BREVE

Please reload